terça-feira, 30 de agosto de 2011

VAI COMEÇAR O SEGUNDO TURNO

Em busca da recuperação, após derrota no clássico, o Figueirense enfrenta, nesta quarta-feira, às 20h30m, no Estádio Ipatingão, em Ipatinga-MG, o Cruzeiro Esporte Clube de Belo Horizonte.
No Turno do Campeonato Brasileiro da Série A de 2011 o Figueirense terminou em 10º lugar com 26 pontos ganhos, enquanto que o Cruzeiro foi o 7º colocado com 27 pontos.
No Turno o Figueirense saiu-se melhor, ganhou do Cruzeiro, por 1 a 0, em 22 de maio, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC.

CRUZEIRO TEM VANTAGEM SOBRE O FIGUEIRENSE NO HISTÓRICO DOS CONFRONTOS
A vantagem dos confrontos entre Figueirense e Cruzeiro é mineira. São 19 jogos no total, com 10 vitórias do Cruzeiro, 4 empates e 5 vitórias do Alvinegro. Dos 48 gols marcados, 30 foram pelo Cruzeiro e 18 pelo Figueirense.
Já pelo Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão, são 17 confrontos. O Cruzeiro venceu oito, empatou quatro e perdeu 5. O time mineiro marcou 27 gols, enquanto o Alvinegro balançou as redes por 17 vezes. O primeiro jogo entre os dois times por essa competição Nacional foi realizado em 12 de setembro de 1973, e o time do Cruzeiro venceu por 1 a 0, em partida disputada em Florianópolis-SC.


FIGUEIRENSE X CRUZEIRO: JOGOS PELO BRASILEIRÃO
12/09/1973 - Figueirense 0x1 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
08/12/1973 - Figueirense 0x3 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
26/10/1975 - Figueirense 0x1 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
18/09/2002 - Figueirense 3x1 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
05/07/2003 - Figueirense 1x0 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
25/10/2003 - Cruzeiro 1x0 Figueirense - Estádio Mineirão
19/06/2004 - Figueirense 0x0 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
28/09/2004 - Cruzeiro 3x3 Figueirense - Estádio Mineirão
03/07/2005 - Figueirense 0x0 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
08/10/2005 - Cruzeiro 4x0 Figueirense - Estádio Mineirão
30/04/2006 - Figueirense 0x2 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
02/09/2006 - Cruzeiro 2x2 Figueirense - Estádio Mineirão
03/07/2007 - Figueirense 2x1 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
30/09/2007 - Cruzeiro 1x2 Figueirense - Estádio Mineirão
21/06/2008 - Cruzeiro 3x0 Figueirense - Estádio Mineirão
21/09/2008 - Figueirense 3x4 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli
22/05/2011 - Figueirense 1x0 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli


OUTROS CONFRONTOS
01/03/1973 - Figueirense 1x2 Cruzeiro - Estádio Adolfo Konder (Amistoso)
10/03/2002 - Figueirense 0x1 Cruzeiro - Estádio Orlando Scarpelli (Copa Sul-Minas)



Em setembro de 2011, completa-se quatro anos desde a primeira vitória do Figueirense sobre o Cruzeiro no Estádio do Mineirão. O triunfo veio no Brasileirão da Série A de 2007.

A derrota para o Figueirense, por 2 a 1, no dia 30 de setembro de 2007 (domingo), no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG, marcou a quebra de um tabu favorável ao Cruzeiro, que nunca tinha sido derrotado pelo time catarinense em jogos disputados na Capital mineira.
Com o apoio da torcida, os cruzeirenses abriram o placar, com um gol contra de Felipe Santana, aos 18 min do primeiro tempo. Mas o time catarinense empatou com André Santos, aos 42 min do primeiro tempo. Na etapa final, Peter virou a partida e garantiu a vitória do Figueirense, aos 47 min.

FICHA DO JOGO:
30/09/2007
Cruzeiro 1 x 2 Figueirense
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Juiz: Carlos Eugênio Simon (RS)
Gols: André Santos e Peter
Figueirense: Wilson, Ruy, Felipe Santana, Asprilla e André Santos (César Prates); Carlinhos, Diogo, Fernandes e Cleiton Xavier; Jean Carlos (Alexandre) e Thiago Gentil (Peter).
Técnico: Alexandre Gallo

Cruzeiro e Figueirense se enfrentaram seis vezes no Estádio Mineirão, com três vitórias do time cruzeirense, dois empates e uma vitória do Alvinegro. O primeiro jogo entre as equipes no Mineirão aconteceu em 2003, com vitória do time da casa por 1 a 0. O jogo que abre o Returno para o Alvinegro será disputado em Ipatinga-MG, pois o Estádio Mineirão está em reforma para a Copa do Mundo. Pela primeira vez as duas equipes irão se enfrentar jogando no Interior de Minas Gerais.





segunda-feira, 29 de agosto de 2011

MEMÓRIA



ALVINEGRO DE CORAÇÃO, ORLANDO SCARPELLI TEVE SEU NOME GRAVADO NA HISTÓRIA DO FIGUEIRENSE JUNTO COM UMA LISTA DE PERSONALIDADES QUE ELEVARAM O NOME DO ALVINEGRO

1945 é o ano que assinala um dos maiores feitos da história do Figueirense Futebol Clube: o início do sonho da construção do estádio do clube.
A construção do estádio do Alvinegro começou a ser projetada em 1945, graças à operosidade do empresário Orlando Scarpelli. Com seu incontestável dinamismo, aliado ao grande amor que o prendia ao futebol, Scarpelli concretizou o ideal sonhado, qual foi o de dotar Florianópolis de um estádio à altura de seu desenvolvimento. O empresário - torcedor e dirigente do Figueirense - comprou um terreno para a construção do estádio do Figueirense Futebol Clube, que posteriormente seria doado ao clube.
Na verdade, Orlando Scarpelli e seus companheiros de administração, entre os quais não podemos esquecer Osni Ortiga, Thomaz Chaves Cabral, Carlos Edgar Moritz, Manoel Ferreira de Melo, muito fizeram para o Alvinegro alcançar a sua grandeza atual.
Em janeiro do ano de 1946, em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados, o Figueirense Futebol Clube, homenageou o destacado desportista, Orlando Scarpelli, conferindo-lhe o título de "Sócio Benemérito".


HOMENAGEM AO DR. LUIZ GALLOTTI

O Interventor Federal, Luiz Gallotti, foi titulado na noite do dia 25 de janeiro de 1946, na sede do Clube Doze de Agosto, como "Sócio Honorário" do Figueirense Futebol Clube, como prova de reconhecimento aos inúmeros serviços prestados ao clube Alvinegro e ao desporto em geral, na condição de Interventor Federal e Vice-Presidente da Confederação Brasileira de Desportos (CBD).
Melhor gesto não poderia ter a Diretoria do Figueirense Futebol Clube, presidida por Orlando Scarpelli, oferecendo uma justa homenagem ao Dr. Luiz Gallotti, uma figura de grande relevo no desporto Nacional. A atuação do ilustre catarinense na Vice-Presidência da C.B.D. foi das mais expressivas e muito deve o Brasil esportivo aos inestimáveis serviços por ele prestados ao seu desenvolvimento.
Luiz D'Assunção Gallotti, nasceu em 15 de agosto de 1904, em Tijucas-SC e faleceu em 24 de outubro de 1979. Formado em Direito, Gallotti foi Deputado Estadual, Procurador da República, Interventor do Estado de Santa Catarina, Subprocurador-Geral da República, Procurador Geral, Ministro do Supremo Tribunal Federal, Vice-Presidente do Conselho Nacional dos Desportos e Vice-Presidente da Confederação Brasileira de Desportos.














domingo, 28 de agosto de 2011

O CLÁSSICO 395

Um show do futebol de Santa Catarina. Assim pode ser descrito o clássico nº 395 entre Figueirense e Avaí disputado na noite deste domingo (28/8), no Estádio Orlando Scarpelli. As duas torcidas viram um grande clássico, com bela atuação dos dois times. Fora de campo, também vale salientar, o espetáculo promovido pelas duas torcidas foi uma verdadeira festa para ficar na história do maior clássico catarinense. O Figueirense saiu na frente, mas permitiu a reação do rival que virou o jogo e venceu pelo placar de 3 a 2. Ygor e Júlio César marcaram os gols do Alvinegro. Júlio César perdeu um pênalti no 1º tempo quando o Figueirense vencia por 1 a 0.

Foi o terceiro clássico na história do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão. As duas equipes já tinham se enfrentado no Brasileirão de 1976.
Na história do confronto o Figueirense tem 139 vitórias, o Avaí 128 e 127 jogos terminaram empatados. O Figueirense marcou 511 gols e o Avaí fez 561.

A última vitória Alvinegra sobre o rival no Estádio Orlando Scarpelli aconteceu em 2007. Não foi desta vez que o tabu foi quebrado.

Parabéns aos jogadores e torcidas pelo belo espetáculo. O clássico, transmitido para todo o Brasil, mostrou a força do nosso futebol.


Ficha Técnica
28/08/2011
Figueirense 2 x 3 Avaí
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC
Juiz: Márcio Chagas da Silva (RS)
Gols: Ygor aos 19/1º tempo e Júlio César aos 44/1º tempo
Figueirense: Wilson; Bruno, João Paulo, Edson e Juninho; Ygor, Túlio (Pittoni), Maicon e Elias (Fernandes); Wellington Nem (Somália) e Júlio César.
Técnico: Jorginho





Com a rodada deste final de semana foi encerrado o 1º Turno do Campeonato Brasileiro da Série A de 2011. O Corinthians Paulista é o campeão simbólico do 1º Turno, com 34 pontos ganhos. O Figueirense terminou o 1º Turno na décima posição, com um aproveitamento de 45,6%. A equipe catarinense está na zona de classificação à Sul-Americana.


Veja abaixo os números da campanha do Alvinegro:

Pontos Ganhos = 26
Jogos = 19
Vitórias = 7
Empates = 5
Derrotas = 7
Gols Prós = 21
Gols Contra = 24
Saldo de Gols = -3
Colocação: 10º lugar











sábado, 27 de agosto de 2011

HISTÓRIAS DO CLÁSSICO - PARTE V

FIGUEIRENSE E AVAÍ: O CLÁSSICO VOLTA AO BRASILEIRÃO

As duas equipes de Florianópolis voltam a jogar pela Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro depois de 35 anos desde o último encontro, que teve uma vitória para cada lado pelo mesmo placar, 1 a 0. Neste domingo, às 18 horas, Figueirense Futebol Clube e Avaí Futebol Clube se enfrentam pela 19ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro de 2011. O Figueirense está passando por um bom momento e é o nono colocado na tabela com 26 pontos ganhos, enquanto que o tradicional adversário briga para não cair para a Segundona, é o 19º com apenas 14 pontos. O Figueirense está sendo apontado como o favorito, mas respeita às tradições do adversário.



Não há consenso sobre quantos clássicos já foram realizados. Historiadores e pesquisadores divergem sobre os dados.

OS NÚMEROS DO FIGUEIRENSE FUTEBOL CLUBE:

Clássicos: 394

Vitórias do Figueirense: 139

Vitórias do Avaí: 127

Empates: 128

Gols do Figueirense: 507

Gols do Avaí: 548

OS NÚMEROS DO JORNAL DIÁRIO CATARINENSE:

Clássicos: 394

Vitórias do Figueirense: 139

Vitórias do Avaí: 127

Empates: 128

Gols do Figueirense: 507

Gols do Avaí: 548

Fonte: O Diário Catarinense usa como base o livro Figueirense x Avaí, o clássico de Florianópolis, de Jairo Roberto Souza, editado em 2003. A partir daí, o DC atualizou os números pela Federação Catarinense de Futebol e pelo site de estatísticas do futebol www.rsssfbrasil.com

OS NÚMEROS DE ALEXANDRINO BARRETO:

Clássicos: 399

Vitórias do Figueirense: 137

Vitórias do Avaí: 134

Empates: 127

Gols do Figueirense: 509

Gols do Avaí: 558

Alexandrino Barreto é pesquisador e autor do livro Avaí Futebol Clube, atualizado a partir de 2008 com base nas tabelas da Federação Catarinense de Futebol.

OS NÚMEROS DE SPYROS DIAMANTARAS:

Clássicos: 422

Vitórias do Figueirense: 146

Vitórias do Avaí: 136

Empates: 135

Jogos sem registro de placar: 5

Gols do Figueirense: 526

Gols do Avaí: 568

Spyros Diamantaras é historiador.

OS NÚMEROS DO AVÁI:

O clube não adota número justamente pelas divergências entre historiadores.




Natural da Armação da Piedade (Governador Celso Ramos-SC), Toninho Quintino começou nas categorias de base do Avaí, onde se profissionalizou em 1971. Em 1975, foi para o Figueirense e iniciou uma trajetória vencedora. Naquele ano o Figueira fez uma boa campanha no Campeonato Brasileiro projetando o nome de Toninho no cenário Nacional. O ex-atacante da dupla da Capital participou de muitos clássicos. É um personagem importante da história do confronto.


CURIOSIDADES:


Em 1999, o atacante Claudiomir viveu uma situação peculiar em sua carreira. Ídolo da torcida avaiana, o jogador foi contratado por empréstimo pelo Figueirense e acabou se transformando em um dos grandes trunfos da equipe para a conquista do título do Campeonato Estadual.


Albeneir, um dos melhores atacantes que o Figueirense já teve e eterno ídolo da torcida alvinegra, encerrou a carreira no Avaí. Aliás, a transferência para a Ressacada foi um dos momentos mais conturbados da carreira. E o ex-goleador reconhece que foi a sua maior mancada.


O confronto Avaí x Figueirense, disputado em 10 de março de 2001, no Estádio Aderbal Ramos da Silva (Ressacada), válido pela 7ª rodada do Campeonato Catarinense, foi o primeiro clássico do Milênio. Naquele clássico o Figueirense derrotou o Avaí por 3 a 1, dentro da Ressacada, com gols de Aldrovani (2) e Marcelinho.


Em partida válida pela Copa João Havelange de 2000 (Brasileiro da Série B), Avaí e Figueirense empataram em 1 a 1 no clássico do dia 10 de setembro de 2000. Tanto Avaí quanto Figueirense mostraram um futebol de alto nível. O gol do Figueirense foi marcado por Valdir. Naquele dia o personagem indiscutível do clássico foi o atacante Dão. Ídolo do Avaí por quatro anos a fio, Dão surpreendeu em 2000 ao se transferir justamente para o maior rival, o Figueirense. Com isso, conquistou um séquito de torcedores alvinegros e, ao mesmo tempo, perdeu uma legião de fãs azurras.


O centro-médio Chocolate, do Figueirense, marcou quatro gols num único clássico. Foi em 1936, no clássico que terminou com uma goleada alvinegra por 6 a 1.


Em 21 de julho de 1940, no clássico Figueirense x Avaí, tivemos ao todo, oito expulsões. Os irmãos Calico, Neri, Sidnei e Décio e mais Beck pelo Figueirense, além de Shurmann, Saul e Diamantino pelo Avaí. O Avaí venceu o jogo por 7 a 3.


Apesar da eterna rivalidade entre Figueirense e Avaí, apenas duas vezes os dois clubes decidiram o título Estadual em confrontos diretos com uma conquista para cada lado. Em 1975, deu Avaí. Já em 1999, o Figueirense ficou com título.


João Carlos da Silva, o Balduíno, foi quem mais jogou clássicos em Santa Catarina. Ele teve 75 participações, sendo 39 jogos pelo Avaí e 36 pelo Figueirense. Com 1,60 cm, era chamado de "Reizinho". Balduíno é um dos maiores ídolos da história do Figueirense e do Avaí.


O maior público de todos os clássicos foi registrado no Estádio Orlando Scarpelli em 25 de julho de 1999, com 19.166 pagantes e 23.375 torcedores no total.


Adilson Heleno foi um meia habilidoso. Ele jogou nos dois clubes da Capital, mas foi ídolo apenas no Avaí. Adilson Heleno é o único jogador que, em um clássico atuou nos dois clubes, sendo meio tempo em cada equipe. Foi no dia 4 de junho de 1992, no "Clássico da Solidariedade", em prol dos flagelados das cheias de Santa Catarina. O jogador atuava no futebol mexicano e de férias na Capital aceitou o convite para participar do evento. O jogo foi no Estádio Orlando Scarpelli, com vitória do Figueirense por 2 a 1, gols de Gilmar Serafim e Tavinho.


"Santo da Costa": era assim que a imprensa da Capital se referia ao goleiro do Figueirense, Da Costa, pelas brilhantes atuações diante do rival Avaí nos jogos que decidiram o primeiro representante catarinense no Campeonato Brasileiro. Foram disputados dois jogos em 1973, com o Figueirense vencendo o primeiro, com gol de Tião Marino, e empatando em 0 a 0 no segundo.


Em 31 de março de 1971, Figueirense e Avaí jogavam amistoso no antigo Estádio Adolfo Konder quando aos 5 minutos do segundo tempo houve uma briga generalizada. O árbitro Gilberto Nahas (já falecido) não teve outra opção: expulsou os 22 jogadores.


Lauro José Búrigo é outro nome marcante da história do futebol de Florianópolis. Foi treinador das duas equipes. Pelo Figueirense foram 41 clássicos, tendo obtido 15 vitórias, 13 empates e 13 derrotas. No Avaí, foi técnico em nove clássicos, foram três vitórias, cinco empates e uma derrota.


Pinga, um ídolo do passado (já falecido), era lateral direito e jogou durante 12 anos no Figueirense. Está na história do clube como o jogador que mais vezes atuou em clássicos pelo Figueirense. O maior batedor de penalti da história do Figueira, Pinga, nunca em sua carreira disperdiçou uma cobrança de penalti. Jogou nos anos 70/80.


Em 10 de julho de 2002, após três anos, os dois rivais de Florianópolis voltaram a disputar uma partida que valia o título catarinense. A diferença do clássico de 2002 para a Final do Estadual de 1999 é que, em 2002, só o Figueirense podia ser campeão. Ao Avaí, restava vencer duas vezes no mesmo jogo, uma no tempo normal e outra na prorrogação. Só assim conquistaria o Segundo Turno do Octogonal, forçando uma decisão no Catarinense 2002 e evitaria que o arquiinimigo conquistasse o troféu antecipadamente. O jogo disputado no Estádio Orlando Scarpelli ficou no empate sem gols, que deu o título Catarinense ao Figueirense por antecipação. Apesar do placar em branco a partida foi disputada e de excelente nível técnico. O públco total foi de 19.835 torcedores.


Como sempre acontece entre rivais, a delícia de um time é justamente estragar a festa do adversário. E assim tem sido em Florianópolis. Na inauguração do sistema de iluminação do Estádio Adolfo Konder, foi o Figueirense quem venceu (1 a 0), no dia 20 de julho de 1951. No primeiro clássico disputado no Estádio Orlando Scarpelli deu Avaí (1 a 0), em 17 de setembro de 1961. E no primeiro jogo no Estádio da Ressacada, em 8 de dezembro de 1983, venceu o Figueirense (1 a 0).


No dia 3 de setembro de 1972, o clássico Figueirense 0x0 Avaí decidiu o título do Campeonato Catarinense. O Figueirense foi o campeão Estadual. A festa realizada pela torcida alvinegra no Estádio Orlando Scarpelli, iniciada com uma descomunal invasão de campo, prosseguiu depois pelas ruas da cidade.


O ex-jogador Almir Gil também disputou muitos clássicos. Almir Gil (meio campo) começou com a camisa do Figueirense (1972) e depois atuou pelo Avaí.


No dia 8 de outubro de 1989, Avaí e Figueirense jogaram no Estádio da Ressacada pelo Campeonato Brasileiro da Série C e o time Alvinegro quebrou um tabu. O zagueiro Léo marcou o único gol da vitória do Figueirense sobre o Avaí, que não perdia há três anos e meio para o rival no Estádio da Ressacada.


O 100º clássico no Estádio Orlando Scarpelli foi disputado no dia 1º de maio de 1991, válido pela Copa Santa Catarina. Jogando em casa e diante de 18 mil torcedores, o Figueirense derrotou o rival Avaí por 2 a 0. Os gols foram marcados por Adilson Heleno e Sandro.


Ricardo Teodósio, natural de Biguaçu-SC, meia, saiu da Ressacada para ganhar fama no Scarpelli. Apesar da família ser toda avaiana, Ricardo se sentia em casa no Figueirense. Foi onde se sentiu valorizado e conquistou os títulos Estadual (1994) e da Copa Mercosul (1995).


Fernando Vieira de Souza, ou simplesmente Nando, natural de Florianópolis-SC, em 1995 jogava no Canto do Rio, time amador do Ribeirão da Ilha, e era ajudado financeiramente por sua mãe, Alda Vieira de Souza. No início de 1996 foi descoberto pelo Figueirense. O atacante estreiou em clássicos no dia 9 de outubro de 1996. Naquele dia o Figueirense mostrou bom futebol e derrotou o Avaí por 1 a 0, em jogo válido pela Copa Santa Catarina, partida disputada no Estádio Orlando Scarpelli. Nando, na época com 22 anos, foi o autor do gol. Seu gol, marcado aos 37 minutos do primeiro tempo, foi dedicado a sua mãe, residente na praia dos Ingleses. No lance histórico na carreira do jogador, Nando aproveitou a confusão na pequena área para chutar forte, sem oportunidade de defesa para o goleiro do Avaí.


No dia 23 de abril de 1997, no clássico nº 347, o Figueirense fez 3 a 0 no Avaí e, depois de mais de 40 anos, assumiu a ponta na história dos clássicos com 122 vitórias contra 121 do time azurra. O jogo foi no Estádio da Ressacada, válido pelo Campeonato Catarinense. Os gols foram marcados por Carlinhos Miranda, Dourado e Silva.


O clássico de Florianópolis é o único ainda existente no futebol de Santa Catarina. É por isso que ele sempre foi o maior deles.











sexta-feira, 26 de agosto de 2011

HISTÓRIAS DO CLÁSSICO - PARTE IV

Trinta e cinco anos depois, as duas equipes mais tradicionais do futebol de Santa Catarina, voltam a protagonizar um duelo histórico no futebol Nacional. Domingo (28/8), às 18 horas, no Estádio Orlando Scarpelli, será o reencontro da dupla no Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão. A partida é válida pela 19ª rodada do 1º Turno da competição. O Figueirense é o oitavo colocado e o Avaí está na zona do rebaixamento.

Estará em disputa a 4ª Taça Eletrosul de Futebol, oferecida pela Estatal que é patrocinadora oficial das duas equipes. O Figueirense já conquistou duas das três Taças que disputou este ano com o Avaí. Como esse jogo acontece no estádio do Figueirense e a regra determina que, em caso de empate a Taça fique com o mandante do jogo, o Avaí só leva para casa se vencer o rival.

O torcedor do Figueirense está feliz com a campanha do time comandado pelo técnico Jorginho neste Brasileirão. O time tem feito boas apresentações, principalmente quando joga em casa. O torcedor Alvinegro acredita que o Figueirense, volte a vencer o rival Avaí, no Scarpelli, o que não acontece há quatro anos ou 5 jogos. Desde 2008 que o Figueira não vence o Avaí no Estádio Orlando Scarpelli. Neste período foram disputados cinco jogos, sendo duas vitórias avaianas (2008 e 2011) e três empates (2009, 2010 e 2011). Neste mesmo período o Alvinegro derrotou o Avaí na casa deles (Ressacada) por duas vezes (2008 e 2011).



Craque e ídolo da torcida Alvinegra, Fernandes é experiente em disputas de clássico. O meia já participou de 18 jogos contra o tradicional adversário. Ganhou 9, empatou 5 e perdeu 4. O maior artilheiro da história do Figueirense Futebol Clube já marcou 5 gols em clássicos.




João Hélio Pereira Pires, o Hélio Pires, ex-centroavante do Figueirense da década de 70, entrou para a história do maior clássico do futebol catarinense sendo o autor do gol da vitória contra o Avaí em 1976. Foi o primeiro confronto de Figueirense x Avaí pelo Campeonato Brasileiro. O jogo foi disputado no dia 8 de setembro de 1976, no Estádio Orlando Scarpelli.

Hélio Pires atualmente mora em Taquara, sua cidade natal, no Interior do Rio Grande do Sul. Foi um centroavante de muita raça e goleador nato.

A FICHA DE HÉLIO PIRES:

João Hélio Pereira Pires

Natural: Taquara-RS (22/03/1949)

Centroavante

Clubes:

Floriano de Novo Hamburgo-RS

Grêmio-RS

Caxias-RS

Coritiba-PR

Santos-SP

Grêmio Maringá-PR

Londrina-PR

Figueirense (1976 e 1977)





CURIOSIDADES SOBRE O CLÁSSICO:

Na história dos clássicos entre Figueirense e Avaí o catarinense Lauro José Búrigo, 75 anos, foi o treinador que mais dirigiu os dois times. Lauro já participou de 50 clássicos no total, sendo 41 pelo Alvinegro e 9 pelo Avaí.

O carioca Jorge Ferreira (já falecido), participou de 31 clássicos como treinador. Foram 25 jogos comandando o time do Figueirense e 6 dirigindo o Avaí.

Estatística do confronto: Conforme registro histórico do Figueirense Futebol clube, Figueirense e Avaí já se enfrentaram em 394 jogos. O Figueirense venceu 139, empatou 128 e sofreu 127 derrotas.


O jogo do próximo domingo será o terceiro na história do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão. Mas, Figueirense e Avaí também já se enfrentaram em outras competições Nacionais. Confira abaixo:



UM, DOIS, TRÊS... O AVAÍ É FREGUÊS !!!

EM COMPETIÇÕES NACIONAIS O AVAÍ É FREGUÊS DO FIGUEIRENSE

A torcida alvinegra pode se orgulhar. Em competições Nacionais o Figueirense Futebol Clube leva vantagem no confronto com o rival Avaí Futebol Clube. Computados jogos válidos pelas Séries A, B, C e Copa do Brasil, o Figueirense contabilizou 6 vitórias, 6 empates e apenas 2 derrotas. O alvinegro fez 17 gols e sofreu 8 gols. Eis os jogos:
08/09/1976
Figueirense 1x0 Avaí
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC
Competição: Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão
Gol: Hélio Pires

17/10/1976

Avaí 1x0 Figueirense

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Competição: Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão

24/02/1980

Figueirense 2x0 Avaí

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gols: Doval e Vacaria

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

10/09/1989

Figueirense 0x0 Avaí

Estádio: Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

08/10/1989

Avaí 0x1 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Gol: Léo

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

09/09/1996

Figueirense 3x0 Avaí

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gols: Silva, Alê e Sandro Ventura

Competição: Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão

15/09/1996

Avaí 1x1 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Gol: Sandro Ventura

Competição: Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão

04/03/1999

Figueirense 1x2 Avaí

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gol: Genílson

Competição: Copa do Brasil

10/03/1999

Avaí 0x0 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Competição: Copa do Brasil

10/09/2000

Avaí 1x1 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Gol: Valdir

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

09/09/2001

Figueirense 2x0 Avaí

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gols: Márcio Goiano e Dão

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

28/10/2001

Avaí 1x1 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Gol: Mabília

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

08/12/2001

Figueirense 2x0 Avaí

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gols: Fernandes e Gílson Batata

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão

18/12/2001

Avaí 2x2 Figueirense

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis-SC

Gols: Abimael e Genílson

Competição: Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão






quinta-feira, 25 de agosto de 2011

HISTÓRIAS DO CLÁSSICO - PARTE III



O Site MeuFigueira.com.br está fazendo uma enquete sobre o clássico mais importante da história, elencando os seguintes jogos:

- Clássico de 1973 que decidiu o primeiro representante de SC no Nacional

- Primeiro confronto em Campeonato Brasileiro (1976)

- Decisão do Estadual de 1999

- Clássico pelo Quadrangular Final da Série B de 2001

- O jogo do próximo domingo


O Site MeuFigueira convida os leitores/torcedores a relatar o seu clássico mais importante. Eu também participei e fiz um relato sobre cada um desses jogos. O MeuFigueira trouxe na postagem desta quinta, dia 25 de agosto, no espaço da enquete, a opinião deste blogueiro, que pesquisa a história do nosso querido Alvinegro. Para mim, o jogo que decidiu o título do Campeonato Catarinense de 1999 foi o clássico mais marcante de todos. Conquistar um título sobre o maior rival teve um sabor muito especial.

Confira abaixo o texto na íntegra, retirado do MeuFigueira:



Conheça a história dos “principais” Clássicos
Escrito por Henrique Santos em 25 ago, 2011

Desde terça-feira o MeuFigueira promove uma enquete em que pergunta ao torcedor qual o Clássico mais importante da história. Foram escolhidos quatro partidas marcantes, além da que está por vir neste domingo. No entanto nem todos têm na memória ou não vivenciaram os fatos daqueles confrontos, especialmente os de 1973 e 1976.
Para relembrar ou apresentar aos torcedores tais partidas, o MeuFigueira procurou o blogueiro Roberto Luiz dos Santos Vieira, autor do blog histórico sobre o Figueirense
e pediu seu relato sobre os “principais” Clássicos diante do Avaí.
Confira:

1973
A decisão de 1973:
Esse clássico tem um significado muito especial. Coube ao Figueirense as honras do pioneirismo por ter sido o 1º representante de Santa Catarina a disputar o Campeonato Nacional. Atendendo ao critério estabelecido pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), a Federação Catarinense de Futebol (FCF) realizou uma “Série Melhor de 3 pontos” para a indicação do representante catarinense no Campeonato Nacional de 1973. No primeiro jogo, disputado no Estádio Adolfo Konder, no dia 16 de maio de 1973, o Figueirense venceu por 1 a 0. O centroavante Tião Marino foi o herói da classificação do Alvinegro ao Nacional. Tião Marino foi o autor do gol marcado no primeiro jogo, em Florianópolis, que permitiu ao Figueirense poder empatar ( 0 a 0) no segundo jogo em campo neutro (Itajaí), para ficar com a vaga. Numa disputa emocionante e de bom nível técnico, o Figueirense garantiu a sua classificação para o Campeonato Brasileiro. O time Alvinegro, dirigido por Jorge Ferreira, era formado por Da Costa; Pinga, Jailson, Moenda e Casagrande; Adailton, Moacir e Luiz Evérton; Caco, Tião Marino e Land.
1976
Primeiro confronto pelo Brasileiro (1976):
Este ano aconteceu um clássico muito importante e que marcou muito para o futebol de Florianópolis. Em âmbito Nacional, foi a estreia do clássico Figueirense x Avaí no Campeonato Brasileiro de Futebol. No primeiro clássico disputado num Campeonato Brasileiro a vitória foi do Alvinegro por 1 a 0, gol do atacante Hélio Pires. O jogo aconteceu no estádio Orlando Scarpelli, em 7 de setembro de 1976. O Figueirense, do técnico Lauro José Búrigo, jogou com Ladel; Pinga, Nélson, Gilson e Escurinho; Moacir, Sidney e Zé Carlos; Caco, Hélio Pires e Luiz Antônio.
1999
A decisão de 1999:
Na minha opinião o clássico que mais marcou de fato foi o que decidiu o título do Campeonato Catarinense de 1999. A decisão entre Figueirense e Avaí foi realmente emocionante. O jogo foi equilibrado e dramático até o último lance da prorrogação.
Dirigido pelo técnico Abel Ribeiro, o Figueirense derrotou o Avaí por 2 a 1 e sagrou-se campeão Estadual. Na partida decisiva, disputada no estádio Orlando Scarpelli (25/06/1999), o Alvinegro precisava vencer por qualquer resultado no tempo normal (o saldo não contava) e empatar na prorrogação. Foi o que ocorreu. Genílson, o artilheiro do Estadual com 26 gols, fez 1 a 0 para o Figueira aos 20 minutos do 2º tempo. O Avaí empatou, mas o centroavante Genílson, de penalti, colocou o Figueirense novamente em vantagem. Com o 2 a 1 para o Figueirense no tempo normal, a partida foi para a prorrogação. O placar do tempo extra foi 0 a 0 e o Figueirense comemorou o seu 10º título Estadual. Naquela decisão tivemos mais de 23 mil torcedores no Scarpelli. Foi uma festa inesquecível. O time Alvinegro tinha um elenco muito forte, destaque para o zagueiro Carlinhos, o meia Fernandes e os atacantes Aldrovani e Genílson.
2001
Clássico Série B 2001:
O Quadrangular Final do Campeonato Brasileiro da Série B de 2001 reservou também uma partida bem equilibrada e emocionante. Comandado por Vágner Benazzi, o Figueirense foi vice-campeão da Série B. O ano de 2001 entrou para a história do futebol de Santa Catarina com a volta do Alvinegro à Série A, após duas décadas de ausência. No Quadrangular Final enfrentamos o Avaí em dois jogos. No primeiro (08/12/01), no Scarpelli, com mais de 21.000 torcedores, ganhamos por 2 a 0, gols de Fernandes e Gilson Batata, numa atuação perfeita do time do Figueira. Depois, houve empate na casa deles (2 a 2).
Outras histórias sobre alguns importantes jogos envolvendo Figueirense e Avaí podem ser conferidas:

























quarta-feira, 24 de agosto de 2011

HISTÓRIAS DO CLÁSSICO - PARTE II




Os dois clubes de Florianópolis voltam a se encontrar neste domingo (28/8), às 18 horas, no Estádio Orlando Scarpelli, em jogo válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A de 2011, e a expectativa é de um confronto bastante disputado e emocionante.

O confronto Figueirense x Avaí é uma espécie de clássico caçula da história do Campeonato Brasileiro da Série A. Será a terceira partida entre os rivais pelo Brasileirão da 1ª Divisão. Nos dois jogos anteriores, em 1976, foi uma vitória para cada lado.

Veja, abaixo, algumas curiosidades do clássico de Florianópolis:


- Esta é a 13ª participação do Figueirense na 1ª Divisão do Brasileirão, enquanto que o Avaí faz a sua 7ª participação na competição.


- O clássico Figueirense x Avaí foi jogado pela primeira vez em 1924, vitória do Figueirense por 4 a 3, em partida amistosa. No retrospecto dos 394 jogos disputados, o Alvinegro é superior nos confrontos entre ambos. Contando jogos amistosos e oficiais, o Figueira venceu 139, perdeu 127 e 128 jogos terminaram empatados.


- No atual elenco, o meia Fernandes e o goleiro Wilson são os jogadores que mais atuaram em clássicos. Fernandes jogou 18 clássicos e Wilson atuou em 11.

O ídolo Fernandes já marcou 5 gols contra o Avaí.

Wilson fez sua estréia com a camisa Alvinegra em um clássico. Na oportunidade, o Figueirense venceu por 3 a 0, em 14 de fevereiro de 2007.


- Na história do maior clássico de Santa Catarina, o ex-lateral direito Airton Raul de Andrade, o Pinga (já falecido), foi o maior defensor da camisa alvinegra em jogos contra o rival. Pinga jogou 59 clássicos.


- É impressionante a procura por ingressos para o jogo do próximo domingo. O Scarpelli receberá mais um grande público. Vamos provar mais uma vez que a torcida do Figueirense é maior e mais fiel de Santa Catarina.




















































terça-feira, 23 de agosto de 2011

HISTÓRIAS DO CLÁSSICO - PARTE I

No próximo domingo teremos fortes emoções com a disputa de mais um clássico Figueirense Futebol Clube x Avaí Futebol Clube, o maior jogo de Santa Catarina. Os dois clubes de Florianópolis se enfrentarão na Série A do Campeonato Brasileiro de 2011, e os torcedores Alvinegros e Azurras já vislumbram o duelo entre os tradicionais rivais como um dos mais emocionantes da história. O Figueirense chega como favorito. Mas, clássico é clássico ! E todo cuidado é pouco.


O jogo do próximo domingo, às 18 horas, no Estádio Orlando Scarpelli, será o grande tira-teima. Na história do confronto pelo Brasileirão da Primeira Divisão foram dois jogos, com uma vitória para cada lado.


Em 1976, foi a primeira vez que Figueirense e Avaí, a dupla de Florianópolis, participou de uma mesma edição de um Campeonato Brasileiro. Trinta e cinco anos depois, os times voltam a protagonizar um duelo histórico em âmbito Nacional. Será o reencontro dos rivais na Série A. Uma revanche esperada desde 1976, ano do único encontro dos dois times na elite.


O Blog apresenta as fichas técnicas dos clássicos de 1976:




08/09/1976


Figueirense 1x0 Avaí


Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC


Gol: Hélio Pires


Público: não divulgado


17/10/1976


Avaí 1x0 Figueirense


Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC


Público: 9.386





segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MEMÓRIA ALVINEGRA



Zagueiro Chinês, do Figueirense, combateu na Segunda Guerra Mundial. Retornando ao Brasil, ele permaneceu jogando no Alvinegro, tendo sido um dos maiores jogadores da história do clube

Perciliano Afonso Emerenciano, conhecido como Chinês, ex-zagueiro do Figueirense Futebol Clube nos anos 40/50, foi um dos mais de 25 mil soldados do Exército Brasileiro enviados para integrar as Forças Aliadas contra o Nazi-Fascismo na Segunda Guerra Mundial nos campos de batalha da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália.
Chinês, na época um jovem zagueiro do time Alvinegro e que serviu o Exército Nacional no 14º BC, no Estreito, em Florianópolis-SC, foi recrutado para participar da Guerra. Os soldados brasileiros (25.334 homens), reuniram-se no Rio de Janeiro-RJ e atravessaram o Oceano Atlântico, rumo à Itália, numa viagem de navio que durou cerca de duas semanas. Embarcaram em junho de 1944 e regressaram ao Brasil em julho de 1945.
Terminada a Guerra, Chinês retornou como herói. Ao voltar do "front italiano", ele reingressou ao time Alvinegro onde permaneceu até o ano de 1951.
Em 31 de setembro de 1945, a diretoria do Figueirense Futebol Clube homenageou o jogador Perciliano Afonso Emerenciano (Chinês) numa solenidade que contou com a presença de autoridades civis e militares. O atleta recebeu do clube uma medalha de ouro, a qual expressou bem os sentimentos dos desportistas para o bravo soldado.
A Segunda Guerra Mundial envolveu a maioria das Nações do Mundo num conflito militar global que durou de 1939 a 1945.

FICHA DO JOGADOR
Perciliano Afonso Emerenciano - Chinês
Posição: Zagueiro
Natural: Florianópolis-SC
Clubes: Clube Atlético Catarinense de Florianópolis-SC, Paula Ramos de Florianópolis-SC, Tiradentes de Tijucas-SC, Bocaiúva de Florianópolis-SC e Figueirense (1943 a 1951)
Foi técnico do Marcílio Dias de Itajaí-SC em 1957.

domingo, 21 de agosto de 2011

FURACÃO SURPREENDE O CORINTHIANS EM SÃO PAULO




Fora de casa, a equipe contou com dois gols dos baixinhos Wellington Nem e Wilson Pittoni. Com a vitória deste sábado, o Figueirense ganha moral para o confronto diante do rival Avaí


O Figueirense jogou bem e mostrou sua raça fora de casa diante do líder do Campeonato Brasileiro da Série A de 2011. Neste sábado (20/08), no Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP, ganhou do Corinthians por 2 a 0, pela 18ª rodada da competição.

Com a vitória, o Figueirense chegou a 26 pontos na tabela e assume provisoriamente a 8ª posição. Torce contra Fluminense-RJ e Coritiba-PR neste domingo.

Wellington Nem e Wilson Pittoni foram os hérois do jogo. Com velocidade e dribles, deram trabalho a defesa do Corinthians. Do alto de seu 1.67, o carioca Wellington Silva Sanches Aguiar, tornou-se um gigante em campo. Atacou e desarmou com eficiência. O paraguaio Wilson Omar Pittoni, 1.66 m, entrou no segundo tempo e também deu sua contribuição para a boa apresentação do Alvinegro de Santa Catarina.

O Figueirense jogou fechado e buscou os contra-ataques. A estratégia do técnico Jorginho deu certo. Em rápido contra-ataque puxado por Júlio César pela esquerda, aos 35 minutos do primeiro tempo, o atacante encontrou livre Wellington Nem, que completou para o gol abrindo o marcador a favor dos catarinenses. Já no segundo tempo em novo contra-ataque, o meia Wilson Pittoni aproveitou o rebote de bola na trave de Júlio César e fez o segundo do Figueirense, garantindo a segunda vitória fora de casa e a sétima vitória na competição.

O atacante Júlio César foi o principal jogador do Figueirense em campo. Ele teve uma grande atuação e participou dos lances dos dois gols.

Pela 19ª rodada do Brasileirão, o Figueirense enfrenta o Avaí no próximo domingo (28/8), às 18 horas, no Estádio Orlando Scarpelli.





FICHA TÉCNICA

20/08/2011

CORINTHIANS 0 X 2 FIGUEIRENSE

Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo-SP

Juiz: Fabricio Neves Corrêa (RS)

Gols: Wellington Nem e Wilson Pittoni

FIGUEIRENSE: Wilson, Bruno, João Paulo, Édson Silva e Juninho; Ygor, Túlio, Maicon (Coutinho) e Fernandes (Wilson Pittoni); Júlio César e Wellington Nem (Roger Carvalho). Técnico: Jorginho.


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

BRASILEIRÃO 2011 - 18ª RODADA




Pela 18ª rodada, neste sábado (20/8), às 18h, no Estádio Pacaembu, em São Paulo, o Figueirense vai enfrentar nada mais do que o líder da Série A do Campeonato Brasileiro de 2011, o Corinthians-SP, que vem fazendo ótima campanha. São 37 pontos ganhos em 17 jogos. Por isso, não será nada fácil. O Figueirense precisa ter cautela e saber explorar o contra-ataque. Vai pegar um time muito forte, com um estádio lotado. O time catarinense está na 10ª posição, com 23 pontos conquistados.


Figueirense e Corinthians-SP sempre fizeram grandes jogos. As duas equipes já se enfrentam há 68 anos. O primeiro jogo da história entre os dois clubes aconteceu em 4 de fevereiro de 1943. Um amistoso, no antigo Estádio Adolfo Konder, em Florianópolis, com vitória do Corinthians pelo placar de 6 a 3.


O primeiro confronto em nível Nacional entre as duas equipes aconteceu em 5 de setembro de 1973, pelo Campeonato Brasileiro. O jogo terminou empatado em 1 a 1.


Em jogos válidos pelo Brasileirão as estatísticas favorecem o Corinthians Paulista: Na Série A do Brasileirão foram 13 jogos, com 5 vitórias do Corinthians, duas vitórias do Figueira, além de seis empates. O Corinthians marcou 22 gols e o Figueirense fez 18.


O próximo adversário do Alvinegro de Santa Catarina tem em seu elenco os ex-jogadores do Figueirense, Chicão (zagueiro) e Willian (atacante).




TODOS OS JOGOS PELO BRASILEIRÃO DA SÉRIE A


05/09/1973 - Figueirense 1x1 Corinthians


15/10/1975 - Figueirense 0x0 Corinthians


09/10/2002 - Corinthians 2x2 Figueirense


06/04/2003 - Figueirense 3x3 Corinthians


07/08/2003 - Corinthians 0x1 Figueirense


11/08/2004 - Figueirense 0x1 Corinthians


19/12/2004 - Corinthians 5x2 Figueirense


22/05/2005 - Corinthians 2x1 Figueirense


18/09/2005 - Figueirense 2x3 Corinthians


12/08/2006 - Corinthians 1x3 Figueirense


12/11/2006 - Figueirense 0x0 Corinthians


25/07/2007 - Figueirense 2x2 Corinthians


28/10/2007 - Corinthians 2x1 Figueirense






O primeiro jogo entre Figueirense Futebol Clube e Sport Club Corinthians Paulista na história do Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão aconteceu em 5 de setembro de 1973. Mesmo sem o craque Rivelino o time paulista foi uma atração, pois trouxe à Florianópolis Roberto, Zé Maria, Wladimir, Vaguinho e outros bons jogadores. O Blog relembra o jogo:


FIGUEIRENSE 1X1 CORINTHIANS-SP
Só no segundo tempo é que a torcida pôde vibrar um pouco, depois que Corinthians e Figueirense, conseguiram a marcação de gols. O jogo foi ruim e de acordo com o resultado


O jogo foi fraco e monótono até a altura dos 20 minutos do segundo tempo. O Corinthians não conseguia chegar à área do Figueirense e o representante de Santa Catarina, por sua vez, sentia no ataque a falta de um finalizador. Depois, estimulado pela torcida, o Figueirense lançou-se ao ataque e foi justamente aí, por falta de cobertura no setor esquerdo de defesa, que Laércio foi sozinho até a linha de fundo e centrou forte para o zagueiro Jailson, do Figueirense, marcar contra. O gol do ponteiro direito Caco fez justiça ao Figueirense que até o final pressionou.
A tônica da partida foi o jogo de meio-campo. O Corinthians não se aventurava pelas pontas, preferindo penetrar pelo meio. O Figueirense, por sua vez, cercado no próprio campo, pouca vezes saia com a bola limpa. Os laterais Pinga e Casagrande, numa noite má, falhavam no trabalho de apoio, enquando o meio campo era dominado pelo Corinthians. Após a expulsão do lateral esquerdo Wladimir, o Corinthians ganhou de presente o seu gol da defesa do Figueirense e Caco, sem marcador, passou a ser mais acionado. Fez o gol de empate, quase marcou outro mas o bandeirinha Roldão Borja não deixou assinalando de forma errada impedimento.
No primeiro tempo, o Corinthians tentou explorar os lançamentos pelo miolo da área, sobre as deslocações de Vaguinho e Roberto. Não deu certo. Em compensação, o Figueirense chutou apenas duas vezes.
Caco no primeiro tempo, não ganhou uma do marcador, até que Wladimir saiu mais cedo. Depois disso, o ponteiro se transformou no mapa da mina, tendo marcado o gol de empate e levado perigo à defesa do Corinthians.
Wladimir fez falta dura em cima de Caco e não gostou da marcação do juiz. Foi expulso e depois disso o jogo descambou para a violência.
No final do jogo, procurado pela imprensa esportiva, o chefe da delegação do Corinthians e vice-presidente de futebol do clube paulista, Izidoro Matheus, falou que se surpreendeu com o Figueirense. Declarou o dirigente em entrevista: "Quem via falar em Figueirense em São Paulo, pensava que era um montinho de jogadores, mas hoje eu tenho certeza de que me enganei e me surpreendi com o futebol apresentado por eles. É um bom time, corre bastante, joga certo e tem um esquema perfeito. Não destaco ninguém e sim o time todo".


FICHA DO JOGO:

05/09/1973 (Quarta-Feira)

Figueirense 1x1 Corinthians-SP

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC

Gol: Caco

Juiz: José Marçal Filho (RJ)

Público: 15.276 pagantes

Figueirense: Célio; Pinga (Carlos Roberto), Jailson, Abel e Casagrande; Adailton, Almir e Moacir; Caco, Severo (Paulo Reina) e Neilor. Técnico: Antoninho












terça-feira, 16 de agosto de 2011

BRASILEIRÃO 2011 - 17ª RODADA - FLUMINENSE-RJ X FIGUEIRENSE

Finalistas da Copa do Brasil de 2007, Fluminense-RJ e Figueirense fazem nesta quarta-feira (17/8), às 19h30, no Rio de Janeiro, mais um jogo da história deste confronto, desta vez válido pela 17ª rodada da Série A do Brasileirão de 2011.
A partida entre o Tricolor Carioca e o Alvinegro Catarinense nesta quarta-feira, será a de nº 17 na história do confronto pelo Campeonato Brasileiro. O primeiro jogo pelo Brasileirão aconteceu em 1973, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, com vitória do Alvinegro, 1 a 0. De lá pra cá foram sete vitórias do Fluminense contra quatro do Figueirense, e cinco empates. O time carioca marcou 20 gols contra 13 do time catarinense.




No cômputo geral dos jogos entre Figueirense e Fluminense-RJ, os clubes já se enfrentaram em 23 oportunidades, com 10 vitórias do Tricolor, 4 vitórias do Alvinegro, e 9 empates. O Fluminense marcou 32 gols e o Figueirense fez 21 gols.
Confira a lista completa. Com resultados de amistosos, Copa do Brasil e Brasileirão:

15/05/1958 - Figueirense 1 x 3 Fluminense - Adolfo Konder (Florianópolis)
26/09/1973 - Figueirense 1 x 0 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
14/11/1973 - Figueirense 0 x 0 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
15/06/1974 - Figueirense 2 x 2 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
05/11/1975 - Figueirense 0 x 0 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
13/12/1979 - Figueirense 1 x 2 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
25/02/2000 - Figueirense 3 x 3 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
25/07/2001 - Figueirense 0 x 0 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
08/09/2002 - Fluminense 4 x 3 Figueirense - Maracanã (Rio de Janeiro)
17/05/2003 - Fluminense 3 x 0 Figueirense - Giulite Coutinho (Mesquita)
25/09/2003 - Figueirense 2 x 2 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
28/07/2004 - Figueirense 2 x 1 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
20/11/2004 - Fluminense 0 x 2 Figueirense - Raulino de Oliveira (Volta Redonda)
31/07/2005 - Figueirense 1 x 1 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
06/11/2005 - Fluminense 2 x 0 Figueirense - São Januário (Rio de Janeiro)
14/05/2006 - Figueirense 1 x 0 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
17/09/2006 - Fluminense 2 x 0 Figueirense - Maracanã (Rio de Janeiro)
30/05/2007 - Fluminense 1 x 1 Figueirense - Maracanã (Rio de Janeiro)
06/06/2007 - Figueirense 0 x 1 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
29/07/2007 - Fluminense 1 x 1 Figueirense - Mané Garrincha (Brasília)
31/10/2007 - Figueirense 0 x 2 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
19/07/2008 - Fluminense 1 x 0 Figueirense - Maracanã (Rio de Janeiro)
05/11/2008 - Figueirense 0 x 1 Fluminense - Orlando Scarpelli (Florianópolis)




Em 38 anos de história, Figueirense e Fluminense-RJ já fizeram grandes jogos pelo Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão. O Blog relembra o 1º confronto que aconteceu em 26 de setembro de 1973, quando o Figueirense estreou no Campeonato Nacional.


Aos 44 minutos do primeiro tempo Adailton cobrou a falta com força e precisão, encobrindo a barreira e colocando a bola na justa medida no ângulo. O goleiro do Fluminense ainda saltou, tentando defender, mas era o dia do Figueirense que, fazendo excelente partida, derrotou o Fluminense por 1 a 0 e conseguiu a vitória que há oito rodadas vinha perseguindo obstinadamente no Campeonato Nacional de 1973 (até a 8ª rodada o Figueira tinha 4 empates e 4 derrotas. A vitória sobre o Fluminense foi a primeira na competição, depois de nove partidas).

O Figueirense foi superior durante todo o tempo e teve na linha de zagueiros seu ponto alto. O Fluminense, a partir dos 20 minutos do segundo tempo, tentou na base do desespero chegar ao gol de empate, mas a solidez da zaga Alvinegra e o bom trabalho realizado pela meia-cancha garantiram a justa vitória.

Bem melhor que o Fluminense no período inicial, firme e tranquilo na etapa final. Assim o Figueirense envolveu o Fluminense mostrando um belo futebol. O time catarinense deu à sua torcida a satisfação que ela estava pedindo há muito tempo. Poucas vitórias poderiam ter para o Alvinegro a importância da obtida contra o campeão carioca de 1973.

O Figueirense, comandado por Antoninho, tinha em seu plantel bons jogadores como: o goleiro Célio, o meia-cancha Adailton e o centroavante Tião Marino.


A FICHA DO JOGO
26/09/1973 (Quarta-Feira)
Figueirense 1x0 Fluminense-RJ
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC
Juiz: Oscar Scolfaro (SP)
Gol: Adailton
Público: 14.715 pagantes
Figueirense: Célio; Marinho, Jailson, Dagoberto e Noroel (Casagrande); Adailton, Fred e Moacir; Severo, Tião Marino (Paulo Reina) e Neilor.
Técnico: Antoninho















segunda-feira, 15 de agosto de 2011

FIGUEIRENSE 2X2 FLAMENGO-RJ: EMPATE COM SABOR DE VITÓRIA




No domingo, em pleno Estádio Orlando Scarpelli, o Figueirense, que perdia por 2 a 0, teve muita raça e conseguiu empatar em 2 a 2 com o Flamengo-RJ. O Alvinegro conseguiu o empate com gols de Somália, aos 8 minutos e Édson Silva, aos 25 minutos, ambos na segunda etapa da partida.
Com este resultado, o Figueirense fica na oitava posição do Brasileirão 2011, com 23 pontos. Na próxima rodada, o Figueira vai até o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense, nesta quarta-feira, às 19h30.



FICHA TÉCNICA:
14/08/2011
Figueirense 2x2 Flamengo-RJ
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis-SC
Juiz: Heber Roberto Lopes (PR)
Gols: Somália e Édson Silva
Figueirense: Wilson; Bruno, João Paulo, Edson Silva e Juninho; Túlio, Jackson (Pitoni), Maicon, Fernandes (Somália) e Elias (Lenadro Chaves); Júlio César.
Público: 18.265 pagantes; 18.499 total





Diante de um público de mais de 18 mil torcedores que lotaram o Estádio Orlando Scarpelli, Figueirense x Flamengo foi um jogo com muitos ingredientes: 4 gols, muitos lances de emoção, e muita festa das duas torcidas.

Bruno foi um dos destaques do Figueirense. Após o jogo contra o Flamengo, o lateral do Alvinegro foi muito elogiado pela imprensa, torcedores e pelo técnico Jorginho, que chegou a afirmar que o jogador tem futebol para jogar pela Seleção Brasileira.

O atacante Somália é matador. Fez a sua estreia no Figueirense marcando gol.

O Figueira mostrou poder de reação. Estava perdendo por 2 a 0. Mas no segundo tempo se recuperou. O empate teve sabor de vitória. Méritos para o técnico Jorginho que colocou o time no ataque.

Do outro lado da ponte a crise continua. O rival Avaí não consegue sair da zona do rebaixamento. No último sábado, Cruzeiro-MG 5 x 0 Avaí foi o "Jogo do Bicho": a Raposa goleou o Leão, do técnico Galo e do atacante Coelho. Jogando em casa, o Cruzeiro ganhou fácil. Não podia dar zebra !