quinta-feira, 3 de junho de 2010

RELEMBRANDO GRANDES TREINADORES


O BLOG RELEMBRA GRANDES TÉCNICOS
ÍDOLOS DO FIGUEIRENSE

Como muitos treinadores, eles não tiveram apenas excelentes conhecimentos técnicos e táticos. Seus métodos de trabalho, sérios e eficientes, os credenciaram a serem treinadores respeitados e admirados pela torcida do Figueirense. Grandes profissionais do futebol e, mais do que isso, grandes personagens, pode-se dizer que Sérgio , Lauro , Abel , Muricy , Júnior e Adílson, viraram ídolos da nação alvinegra.

SÉRGIO LOPES: CAMPEÃO COMO TÉCNICO E JOGADOR
Sérgio Lopes entrou para a história do Figueirense Futebol Clube: ele foi campeão como jogador e técnico. Como jogador conquistou o título Catarinense em 1974 e 16 anos depois, como técnico comandou o time alvinegro na sua primeira conquista da Copa Santa Catarina, em 1990.
Sérgio Gonçalves Lopes, natural de Osasco-SP, começou sua carreira de treinador em Santa Catarina. Em 1976, deixou os gramados - quando ainda atuava no Figueira - para assumir o comando técnico da equipe. De lá para cá passou por vários clubes.

A ESTRELA DO VELHO MESTRE
O mestre Lauro Búrigo trabalhou na função de treinador de futebol desde a década de 60 até o final dos anos 90. Neste longo período colecionou mais glórias do que decepções. É o técnico mais vezes campeão de Santa Catarina com passagens pelos principais clubes do Estado.
No Figueirense Futebol Clube, Lauro José Búrigo, natural de Cocal do Sul-SC, tem resultados possitivos, como a conquista do Campeonato Catarinense de 1974 e a boa campanha no Campeonato Brasileiro de 1975. Ele é o recordista de tempo no comando do alvinegro (dezembro de 1973 a março de 1976) e o treinador que mais vezes assumiu a direção técnica do clube.
Em 1996, Lauro Búrigo assumiu a equipe do Figueira no final do primeiro semestre. Em menos de um ano dirigindo o time, Búrigo ganhou a Copa Santa Catarina, levou o time ao 3º lugar no Campeonato Brasileiro (Série C) e classificou o Figueirense para a Copa do Brasil de 1997.

ABEL RIBEIRO COMANDOU O TIME NO 1º TÍTULO INTERNACIONAL
Abel de Souza Ribeiro, natural de Maria da Fé-MG, o técnico, que como jogador foi um habilidoso ponta esquerda do time do Figueirense nos anos de 1985, 1986 e 1988, levou o alvinegro ao título da Copa Mercosul em 1995. O ex-jogador, Abel Ribeiro, também dirigiu o Figueirense em 1999 conquistando o título do Campeonato Catarinense. Estes títulos tiveram um sabor especial, pois foi o 1º título Internacional da história do clube e o Estadual foi conquistado em cima do rival Avaí.
Abel Ribeiro foi treinador do Figueirense em 1995, 1998, 1999 e 2000.

TÉCNICO MURICY EVITOU O REBAIXAMENTO EM 2002
Em agosto de 2002, quando assumiu, o Figueirense não havia marcado seguer um gol. Muricy remotivou o time e conduziu a uma posição honrosa.
Sob o comando do técnico Roberval Davino, o Figueirense tropeçou nas primeiras rodadas do Brasileirão da Série A de 2002. Em 5 jogos, perdeu 3 e empatou 2, com 8 gols sofridos e nenhum marcado. A volta para a 2ª Divisão do Brasileirão parecia certa, o alvinegro chegou a segurar a lanterna.
Contratado em 27/08/02, o técnico Muricy Ramalho, natural de São Paulo-SP, assumiu com a missão de livrar o Figueira do rebaixamento. Com a sua chegada o alvinegro mostrou um novo estilo de jogo. Deixou de ser um time sem entrosamento, muito inseguro na defesa e com pouco poder ofensivo. E passou a atuar com garra, determinação e competividade.
O time alvinegro atormentou adversários de maior porte e ao final do Brasileirão alcançou a 17ª colocação. Chegou na frente de clubes chamados grandes como Flamengo-RJ, Internacional-RS, Palmeiras-SP, Botafogo-RJ, Bahia-BA e Portuguesa-SP.

JÚNIOR: COMPETENTE E VENCEDOR
Dorival Silvestre Júnior, natural de Araraquara-SP, chegou ao Figueirense Futebol Clube como auxiliar do treinador Muricy Ramalho no Campeonato Brasileiro da Série A, em 2002 tendo no início de 2003 assumido as funções de gerente de futebol.
Júnior, como gerente de futebol teve papel decisivo na montagem do elenco que conquistou de forma brilhante o título do Campeonato Catarinense de 2003.
No Brasileirão da Série A de 2003, quando da saída do treinador Luiz Carlos Ferreira, Júnior assumiu as funções de técnico. Sob o seu comando, o Figueirense jogou 15 partidas, obtendo 6 vitórias, 5 empates e teve 4 derrotas, marcando 26 e sofrendo 16 gols.
Júnior foi o comandante da equipe na conquista da inédita vaga para a Copa Sul-Americana de 2004.
Júnior foi o técnico que levou o Figueirense ao título do Campeonato Catarinense em 2004.

ADILSON LEVOU O FIGUEIRA AO 7º LUGAR NO BRASILEIRÃO DA SÉRIE A
O treinador Adilson Dias Batista, natural de Adrianópolis-PR, tem como principal caracteristica a organização tática de seus times. Dentro desta filosofia de trabalho implantada, entrou para a história do Figueirense Futebol Clube com o título do Campeonato Catarinense de 2006 e por ter levado a equipe alvinegra à melhor classificação na história do clube no Campeonato Brasileiro da Série A de 2006 com a 7ª colocação.
Adílson Batista é um dos maiores treinadores do nosso futebol. Ele está dando sequência à vitoriosa história que viveu como jogador com passagens por clubes grandes.

2 comentários:

  1. Realmente, grandes técnicos. Deixaram saudades para a torcida.

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida grandes nomes.
    Obrigado pela leitura.

    ResponderExcluir